Fisioterapia na Incontinência Urinária Feminina e Masculina

Fisioterapia na Incontinência Urinária

A incontinência urinária é considerada pela Organização Mundial de Saúde como um problema de saúde pública. Cerca de 33% das mulheres e 16% dos homens com mais de 40 anos têm sintomas de incontinência urinária, segundo dados da Associação Portuguesa de Urologia. Isto significa que a incontinência urinária afeta 20% da população portuguesa com mais de 40 anos e, que um em cada cinco portugueses nesta faixa etária sofre deste problema. No entanto, apenas 10% dos doentes procura ajuda médica.
As perdas involuntárias de urina são extremamente comuns e afetam consideravelmente a qualidade de vida, com consequências graves a nível físico, social, sexual e psíquico, conduzindo muitas vezes a situações de isolamento e exclusão social.
Atualmente, existe um método de tratamento pouco invasivo bastante eficaz para este tipo de patologias, trata-se da Fisioterapia Pélvica, que apresenta resultados comprovados de sucesso.

Tipos de Disfunções Perineais/Patologias

• Incontinência Urinária;
• Incontinência Fecal;
• Disfunções Sexuais;
• Obstipação;
• Prolapsos ou Dores Pélvicas;
• Pós-Parto.

A RPA (reabilitação perineal ativa) consiste na avaliação específica e detalhada do utente, seguida de um plano de tratamento aplicando a electroestimulação e o biofeedback, através de um sistema computorizado aumentando a consciencialização e a contração muscular efetiva e eficaz do períneo.